Quinta-feira, 30 de Setembro de 2010

VISITA A MACAU

 

 China 066[1].JPG

 

PREÂMBULO

 

O texto que se segue resulta do registo de uma estadia de duas semanas na China, incluindo o território autónomo de Macau, em meados do mês de Setembro, de 2010.

A par da observação directa, in loco, recolhi e seleccionei muita informação junto de guias turísticos locais.

Devido à diversidade de informações, resolvi elaborar um resumo do que vi, ouvi  e li, organizando-o de forma clara e objectiva.

 

1 - Aspectos Gerais, Geográficos e Históricos

 

Macau não é uma ilha, mas sim uma península, uma vez que está ligada à China  continental por um estreito istmo.

Localiza-se na Ásia Oriental, a sudeste da China, na margem oeste do Rio das Pérolas. Está a sul do trópico de Câncer, distando apenas 60 km de Hong Kong, por mar. Devido a esta localização, Macau apresenta um clima subtropical, predominando o tempo quente e húmido.

Macau é uma zona estratégica, de ligação entre a China Continental e o Mar do Sul da China.

O território de Macau engloba também as ilhas de Taipa e de Coloane e ainda o aterro de Cotai, num total de 29 km2.

A população ronda os 550.000 habitantes, dos quais 94% são de etnia chinesa, e os restantes são portugueses e outros povos.

As línguas oficiais são o chinês e o português, embora o português seja   pouco falado e entendido. Aliás, nem sequer é obrigatório na escola. O inglês só é usado, esporadicamente, nalguns sectores do comércio e do turismo.

A moeda local é a "pataca", que equivale mais ou menos a 10 cêntimos. Mas também circula livremente o dólar de Hong Kong, que tem equivalência cambial.

O início da ocupação portuguesa, por motivos religiosos, económicos e geopolíticos, situa-se entre 1555 e 1557. Depois de muitos anos de colonização, como território sob administração portuguesa, em 1999, Macau passou de novo para a administração chinesa, passando a ser uma região autónoma da China, com a designação específica de "Região Administrativa Especial de Macau".

Actualmente, nos edifícios públicos erguem-se duas bandeiras: uma vermelha, da China e outra azul-turquesa, de Macau.

A movimentada cidade de Macau funciona como porto fronteiriço entre a China e o território de Macau.

Usando as próprias palavras de uma guia local, “Macau é pequeno, mas seguro e rico em história”.

 

 

2 - Evolução Histórica de Macau

 

Sabe-se que desde 1557, os Portugueses estabeleceram  no território de Macau um entreposto de trocas comerciais com a China.

Assim, ao longo dos séculos, Macau funcionou como porta aberta da China para o exterior. Foi local de cruzamento entre o Ocidente e o Oriente.

Por isso, os missionários cristãos, escolheram Macau para a difusão da fé cristã e das ciências ocidentais em terras do Extremo Oriente.

O Colégio de São Paulo, fundado no século XVI é considerado como a primeira universidade, em moldes ocidentais, criada na Ásia Oriental.

Para além de abnegados missionários, como Francisco Xavier, outras personagens da cultura de então deixaram a sua marca para a história das civilizações ocidental e oriental, como por exemplo o nosso admirável poeta épico, Luís Vaz de Camões. A sua passagem por Macau está testemunhada na "Gruta de Camões". Outros exemplos de portugueses ilustres que por lá passaram: Bocage (século XVIII), Camilo Pessanha, como poeta, professor e advogado (séculos XIX-XX), Joaquim Paço d’ Arcos (século XX) e o Padre historiador, Manuel Teixeira (século XX).

No entanto, depois da criação da colónia de Hong Kong, em sequência da vitória dos ingleses na 1ª Guerra do Ópio, em 1841, Macau perdeu muito da sua importância comercial.

Hong Kong desenvolveu-se de tal modo que se tornou um dos principais centros financeiros mundiais.

Macau acabou por proclamar a sua independência da China em 1849, mas só é reconhecida pelo governo chinês em 1887. Tornou-se depois província ultramarina de Portugal em 1951 e território especial em 1976.

Finalmente, em 1999, Macau retornou para a sua terra mãe, a China, com a designação de "Região Administrativa Especial da República da China".

 

Como foi possível verificar, Macau continua a ser uma harmoniosa e pacífica mistura entre as culturas chinesa e portuguesa.

 

 

3 – Aspectos Sociais e Económicos

 

Porque Macau é uma região autónoma, os habitantes da China para poderem circular à vontade no território de Macau, têm de adquirir um “cartão de identificação”.

Por outro lado, 50.000 filipinos trabalham em Macau, porque falam bem o inglês, o que é muito importante nos contactos comerciais e com o turismo.

Foi graças a algumas reformas liberalizantes de Deng Xiao Ping, sucessor de Mao, permitindo que a China abrisse as portas ao Ocidente, que o turismo começou a desenvolver-se a partir de 1980. O turismo é hoje uma boa fonte de receita.

Outra importante fonte de receita é os casinos. Dão 35% dos seus rendimentos ao Governo de Macau.

O custo de vida não é barato. Um apartamento na cidade, de 120 m2, custa cerca de 8 milhões de patacas.

O ensino é obrigatório e gratuito, na escolaridade básica. Só a Universidade é que é paga.

São 22.000 ou 24.000 patacas que se têm de pagar por ano, para frequentar a Universidade.

Os salários médios em Macau são um pouco mais baixos do que em Hong Kong. Não há salário mínimo estabelecido.

O salário mais baixo é para as empregadas domésticas, à volta de 2.500 patacas. Um empregado de comércio poderá receber 5.000 patacas. Um empregado de casino recebe habitualmente, sem contar com as gorjetas, 10.000 patacas. Um professor do ensino secundário recebe 12.000 patacas e um professor universitário, 20.000 patacas.

 

4  - Algumas curiosidades

 

. Os topónimos em Macau estão escritos em português, a par do chinês ( mandarim ).

. Apesar de algumas marcas da herança cultural, deixada pelos portugueses, praticamente ninguém fala ou entende o português.

. A condução automóvel é feita pela esquerda, tal como em Hong Kong (por influência dos ingleses).

. Macau tem uma boa rede de transportes e ligações rápidas. Para 2016, está prevista a ligação da cidade de Zhuhai, em Macau, com Hong Kong, através de uma ponte com 45 quilómetros de comprimento e que será a maior do mundo.

. Actualmente, as ligações mais frequentes entre Macau e Hong Kong são feitas por mar através de “jetfoil” e “catamaran”, levando apenas uma hora no percurso entre terminais ferry, e por via aérea através do serviço regular de helicópteros.

. O aeroporto internacional de Macau, que foi inaugurado em 1995, custou 1 bilião de dólares de Hong Kong.

. Em Macau há 36 casinos.Quase todos eles têm hotel, restaurantes e lojas de marcas internacionais. Oferecem espectáculos gratuitos, diariamente. Funcionam, ininterruptamente, durante todo o ano, de dia e de noite.

. Stanley Ho, dono de vários casinos, é chamado de “patrão de Macau”, por ser o mais rico. A sua família mais próxima também é numerosa: tem 4 mulheres e 17 filhos.

. Na 2ª semana de Novembro, realiza-se em plena cidade de Macau, uma importante competição automobilística internacional, o “Grande Prémio de Macau Fórmula 3” .

. Os chineses têm apenas uma autorização de 3 em 3 meses para visitarem Macau (por causa do jogo).

. Em 2009, 30 milhões de turistas visitaram Macau.

 

 

5 – Alguns Pontos de Interesse

 

1 – Templo de A –Má:

Trata-se de um templo muito antigo, dedicado à deusa A-Má, protectora dos navegantes e pescadores. Terá sido o nome desta deusa que terá dado o nome “Macau” (A-Ma-Gao> Macao=baía da deusa A-Má).

Neste templo, bastante frequentado, por diversos devotos, fazendo pedidos e cumprindo fervorosos rituais, há uma mistura de confucionismo, de taoísmo e de budismo.

É o templo mais famoso e pitoresco de Macau. É constituído por quatro pavilhões de oração.

Situa-se à entrada do porto interior de Macau.

 

2 – Edifício do “Leal Senado”:

Trata-se de uma construção de 1784, ao estilo neoclássico.

Foi a primeira Câmara Municipal de Macau. Tem ainda uma bonita biblioteca e uma pequena capela. Funcionou como Câmara e Assembleia Municipal, durante 400 anos.

Agora, é o “Instituto de Assuntos Cívicos e Municipais”.

 

3 – Largo do Senado:

É o centro urbano e administrativo da vida da cidade, ao longo de vários séculos.

Sobressaem neste frenético espaço, o Instituo para os Assuntos Cívicos e Municipais” e a Santa Casa da Misericórdia. Esta, foi fundada pelo primeiro bispo de Macau, em 1569. Apresenta estilo neoclássico, com influências maneiristas.

O Largo tem a particularidade de estar pavimentado com calçada à portuguesa.

 

4 – Doca dos Pescadores:

Ponto de entretenimento, com bares, restaurantes, casinos e lojas comerciais.

Zona nova. Há 22 anos era água. Foram recuperados ao mar 3 quilómetros e construídos modernos edifícios.

 

5 – Porta do Cerco:

No passado, foi uma verdadeira fronteira entre a China e Macau. Foi construída em 1870.

Agora é um monumento histórico. Macau está por trás desta Porta, da “terra de ninguém”.

Foi restaurada nos séculos XIX e XX e decorada com uma citação de Camões. Exibe duas bandeiras, uma ao lado da outra, a bandeira da China e a bandeira de Macau.

Do lado norte, fica a maior concentração populacional de Macau, do outro, fica a Zona Económica Especial de Zhuhai.

 

6 – Jardim e Gruta de Camões:

Belo espaço, verdejante e tranquilo, testemunhando a passagem de Camões por Macau, no século XVI. Inscrições em pedra, gravadas para a posteridade, dos dez cantos de “Os Lusíadas”. Memoriais de homenagens a Camões.

 

7 – Ruínas de São Paulo:

 

 P9184600[1].JPG


São o ex-líbris de Macau. Situam-se na zona histórica da cidade. Referem-se à fachada da antiga Igreja da Madre de Deus, do século XVI, às ruínas do famoso Colégio de São Paulo, que ficava perto desta igreja e que foi destruída por um incêndio em 1835.

Tanto a Igreja como o Colégio eram construções jesuítas.

Por detrás das actuais ruínas, na parte inferior, existe um núcleo museológico.

 

8 – Igreja Católica de Nossa Senhora da Penha:

Localiza-se no extremo sul da Península de Macau. Foi construída no alto de uma colina, virada para o mar, no século XVII.

Em 1622, a tripulação e os passageiros de um barco português fundaram aquela igreja. Passou a ser um ponto de peregrinação para os navegadores.

Nesta igreja, só é rezada uma missa por ano, a 13 de Maio.

 

9 – Igreja de S. Domingos:

Está perto do Largo do Senado. É do século XVII.

 

10 - Torre de Macau e Centro de Convenções e Entretenimento:

É o edifício mais alto de Macau. Esta torre, em vidro e aço, tem 338 metros de altura e foi inaugurada em 2001. É uma torre de observação e telecomunicações, com diversas valências. Tem um restaurante panorâmico e giratório, a 216 metros de altura.

Além de se poder desfrutar do magnífico panorama, sobre o delta do Rio das Pérolas, também os mais destemidos podem praticar o “sky jumping”.

Junto à Torre, está o Centro de Convenções e Entretenimento, com áreas comerciais, de jogo, restauração e diversões.

 

11 – Casino Grand Lisboa:

Luxuoso casino e hotel, com vários restaurantes, bares, enormes salões de jogo, salas de espectáculos e lojas.

Pertence a Stanley Ho, o grande senhor de Macau.

O edifício destaca-se pela sua arquitectura arrojada e deslumbrante, em forma de grandiosa flor de lótus, um dos símbolos da China. Tem vários andares e está profusamente iluminado, quer de dia quer de noite.

 

 

6 – As Ilhas de Taipa e de Coloane

 

Estas duas ilhas pertencem ao território autónomo de Macau. Taipa e Coloane estão ligadas entre si, graças a um notável trabalho de aterro.

A ilha de Taipa parece uma pequena Hong Kong. Tem o maior casino/hotel da Ásia, o “Venetian”. Enorme e luxuoso casino, com um hotel com 3.000 quartos, centros comerciais, restaurantes, para além dos seus muitos e sempre repletos salões de jogos. No seu interior, até há lagos e canais artificiais, onde se pode passear de gôndola e admirar uma réplica da Praça de S. Marcos, bem ao estilo veneziano.

A ilha de Taipa é um grande centro turístico, com luxuosos hotéis, comércio para todos os gostos, aeroporto internacional, hipódromo e até uma praia interior.

Tem duas universidades: a Universidade de Macau e a Universidade de Ciência e Tecnologia.

O Estádio de Macau e a Piscina Olímpica também se encontram na ilha de Taipa.

A ilha de Coloane é mais modesta mas mais verdejante, pitoresca e genuína. Oferece parques acolhedores e vários espaços de lazer: duas praias bem apetrechadas para desportos náuticos, clube de golfe, kartódromo, hotel e confortável pousada. Na zona ribeirinha, podem-se ver típicas casas de madeira sobre estacas. Noutras ruas, modestos e simpáticos vendedores, à porta das suas casas, exibem produtos hortícolas, frutos exóticos e frutos do mar. Destacam-se nesta ilha a igreja católica de S. Francisco Xavier e a estátua da deusa A-Má, erguida no alto de uma colina, oferecida por um milionário de Taiwan.

 

Conclusão: Vale bem a pena visitar Macau!

 

Graciete Manangao

tags:
publicado por viajeiro às 01:13
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Paula a 4 de Outubro de 2010 às 15:03
Que disposicao tão clara e coerente! Estás de parabéns!
Estou ansiosa por poder ler o que publicas! Noruega.


De viajeiro a 7 de Outubro de 2010 às 22:49
Obrigada pela tua apreciação!
Já está completo e corrigido.
gm


De César Alho a 8 de Outubro de 2010 às 23:42
Alô Graciete. Parabéns pela sua descrição da visita a Macau e que retrata na perfeição essa região administrativa de que tanto gostei.
Gostaria imenso que a Graciete levasse mais longe este seu trabalho para as restantes visitas que efectuámos.
Até lá, bom trabalho.


De VITORIO ROSARIO CARDOSO a 12 de Outubro de 2010 às 13:43
Você referiu muitas vezes que Macau é uma região autónoma, mas na verdade se trata de um regiao de administração especial cuja autonomia é ainda maior que uma região autónoma


De vitório Rosário Cardoso a 12 de Outubro de 2010 às 13:47
Venetian” não é só o maior casino da Ásia mas sim do mundo, em coloane só cheço um hotel....qual é o segundo?


De chunga a 1 de Maio de 2013 às 02:47
existe também a pousada de chec Van , seu ignorante


De vitório Rosário Cardoso a 12 de Outubro de 2010 às 14:49
O CASINO KAM PEK NÃO TEM HOTEL...
E NO Doca dos Pescadores também só tem um casino...na escrita não se distingue do cantonese e do mandarim...Um apartamento na cidade, de 120 m2 deve custar 8 milhões de patacas e não 800 milhoes...os ordenados médo de Macau já ultrapassaram Hong-kong faz alguns anos


De João Galizes a 23 de Março de 2011 às 00:09
Graciete,

estava a pesquisar informação sobre Macau e encontrei o seu excelente texto, pelo que aproveitei e tomei a liberdade de usá-lo e ilustrá-lo num PowerPoint com música "chinesa" de Jean-Michel Jarre.
Entre em contacto comigo e enviar-lhe-ei o PPS,
um abraço
João
jfelix.galizes@sapo.pt


De Armando a 7 de Junho de 2012 às 01:32
Adoro ler sobre suas Viagens e destinos. Especialmente a ultima sobre Berlin . Pois Berlin e uma cidade Moderna, e ao mesmo tempo cheia de Historia. E uma cidade com uma boa harmonia. Keep up the great work :)
Abraços


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. ROTEIRO DE UMA VISITA AOS...

. FRANÇA, CROÁCIA, MONTENEG...

. VALÊNCIA "FALLERA"

. VISITA A BERLIM

. À Descoberta de Campo Mai...

. VISITA A HONG KONG

. VISITA A XANGAI

. VISITA A PEQUIM

. VISITA A MACAU

.arquivos

. Outubro 2016

. Dezembro 2013

. Abril 2013

. Dezembro 2011

. Setembro 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Novembro 2010

. Setembro 2010

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds